Image

Congresso Sintra Economia 20/30 em análise no Conselho Estratégico Empresarial

A II Reunião Ordinária do Conselho Estratégico Empresarial realizou-se esta última quinta-feira, no Palácio Valenças, em Sintra, onde foram debatidas estratégias para o desenvolvimento socioeconómico do município.

O presidente da Câmara Municipal de Sintra, Basílio Horta, apresentou o resumo da atividade camarária e o balanço das medidas decorrentes do Congresso Sintra Economia 20/30, realizado em 2018.  

“Em relação ao urbanismo foram tomadas várias decisões, criámos mais uma divisão de licenciamento, um balcão verde que atende determinado tipo de investimentos e de investimentos que necessitam de rapidez pela sua natureza, dimensão ou influência, e criámos uma equipa para prestar esclarecimentos técnicos quando solicitados”, transmitiu Basílio Horta.

A importância do ensino também foi abordada no congresso, principalmente a criação de universidades no município, ao qual o edil referiu “já ter sido assinado um acordo de entendimento com a Universidade Católica para a construção do Campus Universitário e Faculdade de Medicina. Ao lado da faculdade será instalado o colégio internacional St. George's School”.

O memorando, assinado em junho, prevê ainda a utilização do espaço para a criação de habitação para o serviço universitário e privado.

No sentido de reunir os empresários de Sintra, a Câmara Municipal de Sintra vai organizar “Conversas no Mont Fleuri”, de modo a “que estes conversem entre si e, que futuramente, criem em Sintra e entre as nossas empresas uma rede de network que possa funcionar para além da parte económica”, afirmou o autarca.

Nesta reunião foram apresentadas outras duas medidas concretizadas no decorrer do Congresso de Economia 20/30, a criação de dois sites pela autarquia, um ligado à economia (em desenvolvimento) e outro relacionado com a área do turismo, site – VisitSintra.travel – lançado esta última sexta-feira, no dia mundial deste setor.

O presidente da autarquia concluiu a sua intervenção realçando a presença de Sintra na esfera das relações internacionais, “temos tido uma fortíssima intervenção externa. Temos dois projetos que estão na primeira linha na União Europeia, o Plano Municipal de Acolhimento e Integração de Migrantes, e o projeto “Eixo Verde e Azul”, que está a concorrer ao “Greening densely populates áreas: Strategy and Funding”, como um dos melhores projetos ao nível do ambiente e que será apresentado na Semana Europeia das Cidades e Regiões”.

Durante a II Reunião Ordinária do Conselho Estratégico Empresarial foi ainda apresentada a atualização da caracterização socioeconómica do Concelho de Sintra – Indicadores estatísticos.

No que refere à evolução de população por município, Sintra é o segundo município do país em termos de população com cerca de 388 mil habitantes, apresentando uma evolução anual sempre crescente desde 2014, que se traduz num aumento populacional de 2% até 2018.

Este crescimento contraria as tendências de decréscimo que se verificam a nível nacional e em municípios como Lisboa, Vila Nova de Gaia e Porto

Sintra é também o segundo município do país em população jovem, com mais de 62 mil munícipes com menos de 15 anos e 44 mil entre os 15 e os 24 anos, superando Lisboa neste grupo etário.

Destaca-se ainda a percentagem relativamente baixa de população idosa em Sintra (17 % com mais de 65 anos), quando comparada em termos nacionais, de áreas metropolitanas ou de municípios como Lisboa e Porto.

Em 2018, Sintra teve um saldo migratório positivo de 1.111, figurando entre os municípios que mais conquistaram população, por esta via, a nível nacional, e subindo uma posição, ultrapassando Oeiras. Desde 2014 que Sintra tem obtido saldos positivos sucessivos (mais entradas que saídas).

Quanto ao desemprego, Sintra apresenta, em 2018, uma taxa de desemprego de 4,3%, uma das menores entre os municípios das áreas metropolitanas de Lisboa e Porto; o valor da taxa de desemprego em Sintra, está muito abaixo da taxa média de Portugal continental, de 6,8%, bem como de municípios como Lisboa e Porto, com 6,7% e 11,6%, respetivamente. A redução verificada em relação a 2017, superior a 20%, está entre as 10 melhores de todos os municípios das duas áreas metropolitanas.

Em relação ao Rendimento Social de Inserção (RSI), Sintra apresenta, no ano passado, o 2.º menor rácio de beneficiários de RSI per capita (1,6%) entre os municípios mais populosos das áreas metropolitanas; a par de Cascais, o município regista ainda a maior redução percentual do número de beneficiários de RSI entre os referidos municípios, desde 2014 (-22%), traduzindo assim, uma das maiores diminuições em termos absolutos, de cerca de 1.700 beneficiários.

Os valores definitivos de 2017 confirmam Sintra como o 3. º município do país (e o 2.º da AML) com maior número de empresas em atividade. Entre 2015 e 2017, Sintra obteve um aumento de 3.600 empresas (superior ao Porto), o que demonstra um relevante crescimento de 10%, na linha da área metropolitana em que se insere.

A Câmara Municipal de Sintra criou o Conselho Estratégico Empresarial, em 2014, com o objetivo prioritário de analisar a situação económica e social do concelho na perspetiva das empresas e trabalhadores propondo às entidades decisórias as medidas que se mostrem adequadas à resolução das questões identificadas.

Image