Image
Image
Image
Áreas de Reabilitação Urbana das cidades
Image

Áreas de Reabilitação Urbana

Foi aprovada a Estratégia de Reabilitação Urbana Sintra 20/30 em sessão da Assembleia Municipal de 8 de abril de 2019, sob a Proposta n.º115-P/2019 da Câmara Municipal.

A Estratégia Municipal de Reabilitação Urbana para o horizonte 2020/2030, para Sintra, considera as iniciativas já implementadas pela autarquia, reforça os objetivos e metas da política municipal de cidades e define as prioridades da atuação municipal em meio urbano, atentas as especificidades de cada espaço, enquadrando o conceito e as políticas de reabilitação urbana no contexto sociodemográfico, económico e patrimonial do Município.

Este documento pretende refletir o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pela autarquia com a delimitação de áreas de reabilitação urbana e concretização de projetos estruturantes, plasmados nas respetivas operações de reabilitação urbana, incentivando a participação da população e integra-se nos eixos estratégicos definidos no Modelo de Desenvolvimento Territorial, aprovado em 2015, atendendo ao diagnóstico sobre o sistema urbano que integra os trabalhos de revisão do Plano Diretor Municipal de Sintra.

Sendo certo que os processos de reabilitação urbana são hoje em dia entendidos como fatores de incremento e valorização territorial, numa perspetiva de desenvolvimento sustentável e harmonioso dos territórios, considerou-se importante definir uma estratégia municipal de reabilitação urbana que valorize as intervenções de reabilitação urbana como uma peça central da estratégia de desenvolvimento territorial do Município de Sintra.
I MALHA URBANA

Qualificação do espaço público;

Reforço dos transportes coletivos;

Conexão Intra-aglomerados;

Conexão Inter-aglomerados.

 

II ESTRUTURA VERDE URBANA

Conexão ecológica;

Mais Biodiversidade;

Requalificação das Ribeiras e integração na vivência urbana;

Aumento da oferta e qualificação de espaços verdes;

Hortas comunitárias.

 

III SOCIAL

Considerar as implicações das alterações demográficas, quer no desenho do espaço público, acolhendo a diversidade dos cidadãos, quer na necessária adaptação do parque edificado às necessidades da vida moderna;

Solidariedade e combate à exclusão social;

Multiculturalismo e diferentes modos de utilização do espaço publico;

Identidade do local;

Autenticidade dos territórios;

Inclusão social;

Valorização Cultural;

Promoção da Vida Ativa.

 

VI ECONOMIA

Mais competitividade;

Mais emprego;

Logística urbana.

 

V PARQUE EDIFICADO

Ocupação dos Vazios urbanos;

Reverter estruturas obsoletas;

Melhorar a Eficiência energética;

Reabilitação dos edifícios.

 

VI IMAGEM / PERCEÇÕES TERRITORIAIS

Reputação dos lugares;

Autoestima das comunidades;

Segurança.


Descarregue aqui documento completo