Image

Testemunhos das empresas

 

 

A APAMETAL, em parceria com a Câmara Municipal de Sintra e com a associação “Pais em Rede”, recebeu no final do mês de abril quatro jovens com deficiência para desenvolver trabalhos no processo organizativo da empresa, no âmbito do projeto “Sintra Inclui”. 

Este projeto tem por objetivo facilitar e promover a integração socioprofissional de jovens com deficiência, criando condições necessárias para a transição entre o sistema escolar e a vida adulta, no âmbito da preparação para o contexto de trabalho, através da concretização de experiências profissionais. 

Nesse sentido, a APAMETAL, disponibilizou 3 áreas da empresa. As áreas estão relacionadas com Secção de Preparação e Embalamento de produto (embalagem de produto), Secção de Telas (colocação de telas em diversos materiais) e Secção do Armazém (Gestão de um Armazém - contagem de stocks, saídas e entradas de armazém de materiais). 

Estes jovens desempenham tarefas durante duas horas, uma vez por semana, e estão permanentemente acompanhados por uma técnica psicóloga da associação “Pais em Rede” e tem um trabalhador de cada Secção responsável por cada um dos jovens. O projeto decorre até ao final ano lectivo de 2014/2015. 

A integração entre os jovens e os trabalhadores da empresa tem tido sentimentos de inter-ajuda e interligação entre os mesmos, permitindo a satisfação dos jovens e dos trabalhadores que os acompanham. 

As dificuldades são sempre suplantadas com empenho e dedicação, quer dos jovens, quer dos colaboradores da empresa, permitindo uma sã convivência entre os intervenientes. 

Adriano RobertoLourenço
Presidente do Conselho de Administração

 

 

 

A Parques de Sintra recebeu, desde o final do mês de abril, quatro jovens com deficiência, integrados no projeto Sintra Inclui. Depois da análise do projeto, feita pela Parques de Sintra, a Associação “Pais em Rede” e Câmara Municipal de Sintra, concluiu-se que a melhor opção seriam que estes desenvolvessem trabalhos nos Jardins do Palácio Nacional de Queluz e na Escola Portuguesa de Arte Equestre (EPAE), situada também naqueles jardins. 

Estes jovens desempenham tarefas durante três horas, duas vezes por semana, e estão acompanhados por uma técnica psicóloga da associação “Pais em Rede”. Em ambos os locais os resultados têm sido muito positivos, com os jovens a demonstrarem que se sentem confortáveis com as funções que lhes são atribuídas. 

Na EPAE prestam apoio no maneio dos animais (tirar os cavalos, limpar e ajudar no banho diário), e foi inclusive já eleito o cavalo preferido de todos: o “Queijo”, um cavalo muito sossegado. Na opinião de Teresa Abrantes, Gestora da EPAE, os jovens “são muito dedicados e cuidadosos, adoram os cavalos e demonstram grande interesse nas tarefas que lhes são atribuídas.” 

No que respeita ao trabalho nos jardins do Palácio, as funções passam pela rega, remoção de espécies infestantes e apoio nas hortas; tarefas simples e que não exigem o manuseamento de ferramentas de risco. Nuno Oliveira, Diretor Técnico para o Património Natural, explica que “a colaboração destes jovens tem sido uma mais-valia, não representando qualquer constrangimento no trabalho diário dos colaboradores da PSML”, e acrescenta ainda que “o acompanhamento da psicóloga é fundamental, para garantir que os jovens têm todo o apoio necessário.”

 

 

 

A Resiquímica iniciou em moldes mais formais um projeto de responsabilidade social em 2010, denominado RQ-SOL, ao qual os colaboradores da empresa rapidamente aderiram. Este projeto assenta em ações no domínio social, educacional e ambiental, que, na sua maioria, se destinam à comunidade local no concelho de Sintra. As iniciativas no âmbito do RQ-SOL aumentaram significativamente ao longo dos últimos cinco anos e realizaram-se em conjunto com várias instituições, entre elas, a Câmara Municipal de Sintra. A título de exemplo, refira-se o programa de apoio alimentar da Câmara para o qual a Resiquímica contribui com refeições diárias vindas da sua cantina e com a entrega mensal de dez cabazes alimentares oferecidos pelos seus colaboradores, ou a participação da Resiquímica nos Conselhos Locais de Ação Social (CLAS). 

Uma nova oportunidade neste percurso de sucesso surgiu em 2015, através do projeto Sintra Inclui, também da autoria da autarquia em parceria com a Associação Pais em Rede. Assim, e desde 20 de abril passado, a Resiquímica tem o privilégio de receber três jovens estagiários, atualmente durante uma manhã por semana, que apoiam a nossa empresa em vários trabalhos. São eles o Gonçalo, a Ana Rita e a Isa que nos ajudam, respetivamente, na introdução de dados na direção administrativa e financeira, no arquivo do sector logístico de transportes, bem como na rotulagem no armazém de uma das nossas fábricas. Ainda acompanhados por técnicas pertencentes à câmara, seguramente demonstrarão muito em breve capacidade para concretizarem de forma autónoma as tarefas em diálogo direto com os colaboradores da Resiquímica. 

Queremos acreditar que os estagiários sentem satisfação na sua intervenção semanal na Resiquímica. Da nossa parte, este projeto tornou-se numa experiência muito enriquecedora e exemplar para futuras ações semelhantes. À Câmara Municipal de Sintra, e em especial ao Gonçalo, à Ana Rita e à Isa, os nossos agradecimentos. 

Filipe Vieira Nicolau
Diretor Administrativo e Financeiro, em representação da equipa de voluntariado da Resiquímica