Vencedores dos Prémios Literários 2020 distinguidos esta quarta-feira

O presidente da Câmara Municipal de Sintra, Basílio Horta, distinguiu esta quarta-feira os vencedores dos Prémios Literários Ruy Belo e Ferreira de Castro de Ficção Narrativa de 2020.

A cerimónia decorreu nos Paços do Concelho, em Sintra, tendo sido entregue a cada um dos premiados o montante de 5 mil euros. 

Na abertura desta solenidade, Basílio Horta fez menção ao contexto que o país atravessa, decorrente da pandemia por Covid-19, referindo que a entrega destes Prémios Literários é realizada numa altura tão delicada, pois “pretende-se valorizar a cultura e os agentes culturais. Quando nós valorizamos os nossos agentes culturais, valorizamos o nosso concelho e, consequentemente, valorizamos cada um e todos os Munícipes”.

O edil recordou ainda a retoma da atividade cultural em Sintra, com concertos, espetáculos de dança, exposições e outras iniciativas culturais, a partir do mês de outubro e até ao final do ano, com entradas gratuitas. “No ano em que se assinalam os 25 anos da elevação de Sintra a Património Mundial e num momento marcado pela retoma das atividades culturais em todo o território nacional, a autarquia decidiu que a atividade cultural programada fosse gratuita para todos”, sublinha Basílio Horta, presidente da Câmara Municipal de Sintra.

O Prémio Ruy Belo foi atribuído a António Carlos Cortez pela obra “Jaguar”, publicado pela Dom Quixote, em 2019.  Das 26 obras avaliadas, “Jaguar” destacou-se como “um assinalável salto qualitativo em relação à obra do autor” que encara o “poema como caçada terrível”. Nascido em Lisboa, em 1976, António Carlos Cortez é também ensaísta e crítico de poesia. Para o júri, o autor demonstra uma “coerência estrutural do volume, patente na forma como os diversos núcleos imagéticos que explora se vão desdobrando de forma fulgurante”.

Por sua vez, a obra inédita “Noturno”, de António Canteiro, foi a vencedora do Prémio Literário Ferreira de Castro de Ficção Narrativa, tendo sido considerada uma proposta consistente e original. O autor de “Noturno”, pseudónimo de João Carlos Costa da Cruz, trabalha na área da reinserção social, tendo publicados três romances e dois livros de poesia. O júri destacou o vocabulário poético, o rigor e a estrutura criativa desta obra, que se distinguiu das 97 candidaturas analisadas. Segundo o júri, a obra apresenta uma “escrita de qualidade, hábil combinatória ficcional das componentes biográfica, memorialística e ensaística inter-artes”, com “páginas verdadeiramente geniais”.

A Câmara Municipal de Sintra promove o Prémio Literário Ruy Belo e o Prémio Ferreira de Castro de Ficção Narrativa com o objetivo de dinamizar e estimular a criação literária do concelho, e homenagear o poeta e munícipe de Sintra Ruy Belo e o grande romancista Ferreira de Castro.