Image

António Costa inaugura três unidades de saúde em Sintra

O primeiro-ministro, António Costa, o presidente da Câmara Municipal de Sintra, Basílio Horta e a ministra da Saúde, Marta Temido, inauguraram esta segunda-feira as três novas unidades de saúde de Almargem do Bispo, Agualva e Sintra, num investimento total de 2 milhões e 775 mil euros.

O presidente da Câmara de Sintra, Basílio Horta, refere que “este é um dia muito marcante para o concelho e para os munícipes, este é um concelho com 320 km2 e 400 mil habitantes e devia ter uma área de saúde com dignidade. Tudo foi possível com a virtuosa parceria com ministério da Saúde, o estado local e estado central com um objetivo comum, que é o de servir os munícipes”.

António Costa mencionou que “a Câmara Municipal de Sintra é um exemplo de como a descentralização é fundamental para servir os cidadãos, tão bem exemplificado aqui na área da saúde, este é o exemplo de colaboração estreita entre a administração central e local”.

“Investir nos cuidados de saúde primários é investir na prevenção dos riscos de saúde e para que não recaia tudo nos centros hospitalares, mobilizar recursos e escolher prioridades são fundamentais para recuperar o Serviço Nacional de Saúde”, terminou o primeiro-ministro.

Basílio Horta frisou que “os cuidados de saúde são uma das principais prioridades da autarquia desde o primeiro dia do mandato, o concelho estava muito abandonado neste setor, por exemplo a unidade de saúde de Almargem do Bispo era um sonho com mais de 30 anos, estas novas unidades de saúde são a prova da excelente colaboração com o estado”.

Estas três novas unidades de saúde resultam do contrato programa assinado entre o governo e o município de Sintra, para a criação dos novos centros de saúde, num investimento global de 8 milhões de euros, que abrangem 170 mil utentes: Queluz (já em funcionamento), Algueirão-Mem Martins (construção em breve), Almargem do Bispo, Agualva e Sintra (inaugurados esta segunda-feira).

A autarquia garantiu a cedência dos terrenos, o desenvolvimento de todo o projeto, obra e o pagamento de 30% da obra dos fundos nacionais, cabendo à Administração Central os restantes 70%. No caso do centro de Saúde de Sintra a autarquia assumiu os 100% do investimento.

Marta Temido, coloca entre os seus objetivos a prestação de cuidados nos novos centros de saúde, a par do rejuvenescimento em matéria de profissionais de saúde. “Os cuidados de saúde de proximidade que fazem a ponte com a população, pessoas para quem aqui estamos de corpo presente a trabalhar, sempre presentes, sempre a tentar modernizar as condições de trabalho, os cuidados de saúde primários têm de ser qualidade”, sublinha a ministra da Saúde.

O Centro de Saúde de Almargem do Bispo, a funcionar desde junho, em Casal Rebolo, abrange nove mil utentes e suprime assim as necessidades dos utentes da União das Freguesias de Almargem do Bispo, Pero Pinheiro e Montelavar, representando um investimento de 775 mil euros. O edifício é composto por uma sala de espera, um gabinete de Planeamento Familiar, quatro gabinetes médicos, dois gabinetes de enfermagem e dois gabinetes de tratamentos.

No valor de 1 milhão e 100 mil euros, a nova unidade de saúde de Agualva, a funcionar desde junho, na Rua do Mercado, vai permitir albergar cerca de 30 mil utentes. O edifício com três pisos contempla duas unidades de saúde familiar, com gabinete saúde mulher / planeamento familiar, gabinetes para consulta, de enfermagem, sala de tratamentos de pensos e sala de tratamentos de injetáveis.

O novo Centro de Saúde de Sintra, na Rua Desidério Cambournac, na Estefânia, está em funcionamento desde junho de 2019 e teve um custo de mais de 900 mil euros num investimento totalmente pago pela Câmara Municipal de Sintra.

O centro de saúde divide-se por dois edifícios e três pisos, dispõe de um gabinete de apoio à mulher, 14 gabinetes médicos, quatro gabinetes de enfermagem e três salas de tratamento, servindo cerca de 21 mil pessoas.

Durante as próximas semanas vai iniciar-se a construção do Centro de Saúde de Algueirão-Mem Martins, um investimento de 4 milhões de euros, que servirá 60 mil pessoas.

Para além destes cinco centros de saúde, já no final de 2018, foi assinado um protocolo com o ministério da Saúde que assegura a construção de um sexto equipamento: O novo Centro de Saúde de Belas que deverá estar concluído no próximo ano.