Image

Sucesso do projeto europeu implica envolvimento dos governos locais

Basílio Horta defendeu, esta quinta-feira em Bruxelas, que o sucesso das metas europeias estabelecidas para 2030 implicam o envolvimento dos governos locais - veículo fundamental para um desenvolvimento sustentável.

 

O presidente da Câmara Municipal de Sintra defendeu esta quinta-feira, numa intervenção no plenário do Comité das Regiões, que o Comité e a União Europeia (EU) necessitam de “uma total sinergia entre os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), as 11 prioridades da Comissão de Jean Cleaude Juncker e os 11 objetivos temáticos da política de coesão”.

A Comissão Europeia apresentou, no dia 30 de janeiro deste ano, um documento de reflexão com o intuito de reforçar o compromisso da EU com os ODS.

“O alcance das metas estabelecidas para 2030 apenas será possível com um trabalho feito a todos os níveis governamentais”, defendeu Basílio Horta. O autarca sublinhou que “as localidades e regiões são um veículo fundamental para o desenvolvimento sustentável”.

“Mais do que diretrizes globais, atingir as metas dos ODS implica um conhecimento profundo dos cidadãos, das suas necessidades e do ambiente em que vivem”, considerou Basílio Horta, lembrando que, “as autoridades locais e regionais são aquelas que, mais próximas da população, conseguem atuar de forma mais eficaz sobre os desafios”.

 

O presidente da Câmara Municipal de Sintra alertou também para os objetivos inerentes às 10 prioridades da Comissão Europeia, que possuem um prazo de duração que termina em 2020. “Perante esta discrepância com a Agenda para 2030, urge salientar que durante o próximo mandato, os decisores deverão ter em atenção a necessidade de manter e criar instrumentos, nomeadamente financeiros, que projetem a UE para os níveis de desenvolvimento sustentável desejados”, defendeu Basílio Horta.

Image