AML adere ao Pacto de Milão sobre política de alimentação urbana

A Área Metropolitana de Lisboa (AML) aderiu ao Pacto de Milão sobre política de alimentação urbana, com o objetivo de trabalhar para o desenvolvimento de sistemas alimentares inclusivos, resilientes, seguros e diversificados.

Esta iniciativa pretende pensar e fornecer uma alimentação economicamente acessível e saudável a todos, ao mesmo tempo que respeita os direitos humanos, minimiza o desperdício e preserva a biodiversidade.

Os membros da AML, que o Município de Sintra integra, devem agora incluir nas suas agendas, programas e iniciativas económicas, sociais e ambientais, questões sobre política alimentar urbana.

A adesão da AML ao Pacto de Milão sobre política de alimentação urbana surge na sequência do papel de coordenação na Foodlink - rede para a transição alimentar da AML (juntamente com a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo e Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa), e do reconhecimento da importância desta temática na Estratégia Regional AML 2030 como setor central para o desenvolvimento metropolitano, e da identificação do valor do domínio agroalimentar no âmbito da Estratégia de Especialização Inteligente da região.

Os princípios do pacto estão igualmente alinhados com o Pacto Ecológico Europeu (desenvolvido pela estratégia do Prado ao Prato), Estratégia de Biodiversidade da EU para 2030, Plano Estratégico da PAC 2023-2027, Programa Nacional da Política de Ordenamento do Território e Agenda de Inovação para a Agricultura 2030.

Saiba mais sobre o Pacto de Milão AQUI.

Image